Quem sou eu

Minha foto

Tenho 50 anos, sou graduada em Serviço Social pela Universidade Federal de Alagoas (1987) e servidora pública desde 1988.  

 A Fibromialgia mudou minha vida e me fez rever todos os meus conceitos e valores após diagnóstico obtido em agosto de 2003. “É uma dor que maltrata, mas não mata”.  

De fato, tenho sobrevivido...

E a partir daí, de uma vontade de viver e não meramente sobreviver, aprendi que cada um precisa encontrar sua maneira de enfrentar as próprias dores e perdas, buscar uma saída quando tudo parece perdido e despertar ideias construtivas, pensamentos motivadores para prosseguir lutando e agindo. Porque a vida segue e não espera a nossa dor passar...

Em 2009 iniciei este blog pretendendo aprender a usar as ferramentas do Blogger: Espaço Arte, Terapia e Negócios como eu, vive eternamente em construção.

 Em 2012 comecei a empreender pequenos negócios de revenda como uma experiência de aprendizado que mantenho até os dias de hoje. Com muita paixão construí a VS Acessórios.

https://www.facebook.com/vs.semijoias.acessorios

https://www.instagram.com/souverasouza

Tenho interesse por autoconhecimento, bem estar, desenvolvimento pessoal e profissional, artes, viagens e empreendedorismo.

Quero passar pela vida com gratidão ao Criador, respeito aos demais viventes deste universo, humildade para corrigir meus erros e dignidade para escrever minha própria história. 

Porque...

"Enquanto houver sol, ainda haverá..."

 Muito a ensinar e muito mais a aprender!

 Com o coração cheio de gratidão  _/\_

 

Instagram

Google+ Followers

Seguidores

sábado, 9 de julho de 2011

Um voo humilde...

"Justo quando a lagarta achava que o mundo tinha acabado, ela virou uma borboleta."

Neste pequeno espaço, tudo pode.
Desde que não seja contrário ao amor de Deus e nem prejudique a alguém.
Tudo pode, porque assim não sendo, também não haveria mais razão de existir.
Aqui dentro, eu sou totalmente livre. Pelo menos aqui dentro...
Aceito humildemente qualquer ideia ou sugestão, até porque tenho o desejo de manter a mente aberta e o dever de respeitar os semelhantes.
Porém aqui, sem querer ferir ninguém, eu exerço minha liberdade de ir ou vir, agir ou parar, falar ou calar.   Porque necessito recuperar o direito humilde de respirar, sem pedir permissão.
Não desejo alimentar nenhum sentimento de orgulho ou vaidade, ainda que eu fosse alguém importante, porque nada neste mundo me pertence. Eu apenas preciso respirar e voar livre, sem que nada me sufoque.